COMO FAZER COM QUE O MEU COMPANHEIRO ME DIGA O QUE SENTE?

Os homens não têm a mesma facilidade em falar sobre emoções e sentimentos que as mulheres naturalmente têm, o que pode fazer com que, muitas vezes, a mulher se sinta frustrada porque acredita que o companheiro se fecha e não tem feedback do que ele está a pensar ou sentir. Sendo uma comunicação algo tão importante na relação, falar sobre sentimentos é crucial para que o relacionamento se mantenha saudável e positivo. No entanto, pode ser necessário que a mulher dê o primeiro passo e ajude o companheiro, sempre de forma compreensiva e empática, a falar sobre estes temas. Porquê? Porque o homem tende a sentir que partilhar os seus sentimentos pode mostrar vulnerabilidade e fragilidade, algo que ele, muitas vezes de forma inconsciente, não quer mostrar à sua companheira. Mais: os homens sentem que “abrir essa janela” pode fazer com que sejam julgados e criticados. Isto faz com que os homens lidem com as suas emoções de outra forma, evitando assim o diálogo.

Neste artigo, vou partilhar contigo algumas dicas que te vão ajudar a deixar o teu companheiro mais confortável para se abrir contigo e comunicar com mais facilidade sobre emoções e sentimentos.

Como fazer com que o meu companheiro fale mais sobre as suas emoções?

Dá pequenos passos. Antes de mais, é importante que não estejas constantemente a forçar o teu parceiro a partilhar. Quanto mais forçado ele se sentir, mais se fechará. O correto é, sem dúvida, fazeres as perguntas certas no momento certo, para que o discurso pareça o mais natural possível. Não queiras também tudo de uma vez. Lembra-te que este percurso exigirá paciência e compreensão da tua parte. Quando o teu companheiro começar a partilhar as suas emoções, deixa que seja ele a guiar até onde quer ir. Novamente, é importante que ele não se sinta forçado a partilhar, mas sim acarinhado por estar a fazê-lo.

Não julgues nem critiques. Como referi acima, um dos maiores receios dos homens ao expor os seus sentimentos é sentirem-se criticados, julgados e incompreendidos perante as suas confissões. Sê empática com o teu companheiro neste momento e não “troces” das emoções que, de alguma forma, ele está a decidir partilhar contigo. Coloca-te na sua posição e esforça-te por compreender aquilo que ele está a sentir. Esta é, muitas vezes, a fonte do problema: se calhar, se estiveres atenta, vais perceber que o teu companheiro até já fez partilhas mais íntimas, mas acabou a fechar-se perante a forma como reagiste. Muita atenção às tuas reações.

Dá o exemplo. Esta é uma das maiores dicas que te posso dar para ajudares a que o teu companheiro se abra mais contigo. Dá o exemplo e fala tranquilamente das tuas emoções, sem exigir nada em troca. Mostra a tua vulnerabilidade e, caso sintas que o teu companheiro está receptivo, pergunta-lhe se também se sente da mesma forma, garantindo sempre que não estás a pressioná-lo. Ou seja, transforma estas partilhas em conversas naturais e descomplicadas, para que este tema não seja tabu entre vocês.

Conecta-te com o teu parceiro. Pode acontecer o teu companheiro não estar a sentir-se especialmente confortável para fazer este género de partilhas porque se sente desconectado da relação. Calma, isto não significa que a vossa relação está terminada – significa apenas que tem de existir algum trabalho na vossa intimidade para voltar a ganhar essa conexão. E intimidade não significa necessariamente sexo: significa afeto, carinho, compreensão e ligação, coisas essas que podem ser trabalhadas através de conversas mais íntimas (que não precisam de ser sobre sentimentos; podem ser sobre sonhos, ambições, sobre coisas que só partilhariam entre os dois), com toques e com momentos realmente significativos a dois.  

Mostra interesse genuíno no que o teu companheiro está a dizer. Quando perceberes que o teu companheiro está a fazer alguma partilha mais íntima, mostra um interesse genuíno naquilo que ele está a dizer. Mostra que ouves, que estás atenta e, acima de tudo, que amas o teu companheiro exatamente como ele, independentemente das fragilidades que ele possa estar a mostrar. Certifica-te que estás presente naquela conversa e não dispersa, a pensar noutra coisa qualquer. Lembra-te que a tua postura também fala e que o teu companheiro vai perceber caso não estejas interessada naquilo que ele está a dizer-te.

No final do dia, é importante é que te lembres de ser empática e de mostrar ao teu companheiro que queres ouvir que ele tem para dizer, sem julgar ou criticar. É disto que vive uma relação a dois: do amor, da confiança e da empatia. Se quiseres continuar a trabalhar na tua relação, não te esqueças de te juntar a mim no Código do Amor, o curso que te vai ensinar todas as ferramentas para que vivas a relação que sempre sonhaste! 

SE GOSTOU, PARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on whatsapp
Share on skype
Share on print

Deixe uma resposta